segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Até em crianças estes animais batem


"Quatro crianças ficam feridas durante alegada carga policial
Uma criança ficou ferida quando a polícia aparentemente terá carregado hoje sobre os jovens alunos da Escola C+ S de Alfragide estando em casa com as costas marcadas e em sangue, disse à Lusa a mãe da estudante.

Irene C. afirmou que a filha depois de agredida foi para casa tendo recebido um telefonema já no trabalho a dar conta da situação.
Em frente à escola C+S de Alfragide, Irene C. adiantou que aguarda pela chegada da filha para ir com ela à esquadra apresentar queixa.
«Isto é uma vergonha. O que é que a polícia faz de cassetete na mão contra uma criança de 10 anos», questionou a mãe da criança visivelmente irritada.
Entretanto, confrontada pela Lusa com a acusação, fonte da polícia limitou-se a responder: «Terá de perguntar às crianças. Aqui não se resolve nada. Elas é que começaram com isto tudo».
Entretanto são menos os alunos que se encontram fora do recinto escolar onde também são poucos os professores, tendo a maioria deles entrado já para o estabelecimento de ensino.
Por outro lado, os que se mantêm fora da escola - cerca de uma centena - gritam palavras de ordem «Não há aulas» e em declarações à Lusa afirmam que o protesto é contra o estatuto do aluno, contando com o apoio dos estudantes e da grande maioria dos professores.
Questionados pela Lusa sobre quem acorrentou os portões da escola a cadeado, todos afirmaram desconhecer quem o terá feito.
Pelo menos mais quatro estudantes ficaram hoje feridas durante uma alegada carga policial na Escola C+S de Alfragide, contaram à agência Lusa vários estudantes entrevistados no local. Segundo Bruna Cruz, a polícia, depois de rodeada pelas cerca de duas centenas de alunos, carregou sobre os jovens, tendo um deles ido apresentar queixa na esquadra da polícia de Alfragide, o que lhe foi recusado.
A recusa, segundo Carlos Sousa contou à Lusa, foi justificada por ser necessário apresentar uma reclamação por parte da escola sobre o sucedido. Bruna Cruz adiantou ter sido agredida no joelho, que está inchado e com nódoas negras, andando com dificuldade.
A polícia entretanto deixou o local, pouco depois da chegada das câmaras de televisão, embora um dos agentes tenha indicado à Lusa, quando questionado sobre o sucedido, que «Elas é que começaram com isto tudo».
Contactada pela Lusa, fonte da esquadra da PSP da Amadora comentou apenas «Isso é para rir», remetendo mais declarações para o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.
Os professores já entraram no recinto da escola, mantendo-se cerca de três dezenas de jovens à porta do estabelecimento de ensino, que estão num vaivém a entrar e a sair.
Ninguém da escola presta declarações nem os jornalistas estão autorizados a entrar no interior do estabelecimento de ensino."

retirado de : http://sol.sapo.pt


Nem as crianças estão a salvo da Justiça do Bastão. Só espero os vossos filhos nunca tenham de estar cara a cara com os vossos colegas. Pensem nisso.

ACAB

5 comentários:

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=w8eRwhAgbTw

http://www.youtube.com/watch?v=A_cucSt45h4

Anónimo disse...

pena nao haver cá uma organização como a ETA para os por na ordem

filhos da puta fascistas de merda

ALL COPS ARE BASTARDS!

Anónimo disse...

depois admiram-se de estas crianças qdo crescerem serem um produto de odio á policia...
Se não tens cerebro vai para a policia!!!(e tem sido o refúgio de muitos frustados)
mas pessoal não transformem isto num local politico por favor...isto nao tem nada a ver com fascismo.
é a hipócrisia da liberdade!
Só existe democracia porque toda a informação é controlada!!!"

TERRACE disse...

Agressões da PSP e roubos nas camionetas
Preocupantes são os relatos que se vão lendo e ouvindo de comportamentos tidos pela Polícia de Segurança Pública. Uma das camionetas que transportou adeptos do Vitória chegou ao Bessa aos oitenta minutos de jogo, leram bem, oitenta minutos de jogo quando faltavam apenas dez minutos para o fim do encontro. Esta camioneta foi “desviada” das restantes e parada num local obscuro na auto-estrada, com ameaças ao motorista. Depois disto todos os elementos da referida camioneta foram revistados individualmente um a um com agressões bárbaras.

Também enquanto o jogo decorria as camionetas Vitorianas foram passadas a pente fino pelos agentes da autoridade, revirando e mexendo tudo que lá existisse. Nesta espécie de revista os senhores agentes apoderaram-se e consumiram o que lá havia em temos de produtos alimentares. Desde sandes e outros alimentos que normalmente se levam a eventos deste tipo passando pelas garrafas de água, sumos e restantes bebidas, todas foram confiscadas e consumidos. Muito preocupantes estes relatos.

in http://www.vitoriagrande.com/

E DEPOIS OS CRIMINOSOS SOMOS NÓS??
JÁ EM BARCELOS O BUS DA FURIA FOI ALVO DE UMA REVISTA QUANDO DECORRIA O JOGO

Anónimo disse...

e por estas e por outras que ha quem prefira nao viajar em grupo de autocarro..

e voces com cenas destas acredito que dentro de pouco tempo tambem ja nao o facam porque ninguem esta para aturar estes abusos!